Ventosaterapia: O que é, como funciona e indicações

Ventosaterapia Instituto Hishinuma 2023

Quando iniciei meus estudos em Ventosaterapia, ainda na década de 90 no Japão, aqui no Brasil poucos profissionais se dedicavam a técnica. Na verdade poucos mas bons profissionais tinham o árduo trabalho de introduzir a ventosaterapia no mercado. Um mercado que estava relacionado diretamente com a massoterapia, que não tinha lá grande repercussão no nosso país naquela época.

Foi em 2016 nas olimpíadas do Rio de Janeiro quando os atletas apareciam com marcas de aplicação que vivemos um “boom” da técnica em consultórios, clínicas e cursos. Professores que nem ao menos conheciam a técnica se enveredaram em criar cursos e eis que a ventosaterapia ganhou a notoriedade que grandes mestres sempre fizeram questão de destacar. O ponto positivo é que a técnica e todos seus benefícios chegaram ao grande público. O ponto negativo é que muitas vezes o interesse financeiro se sobrepõe a questões éticas e a própria filosofia da medicina oriental e, a técnica de certa forma sofre com a banalização do ensino de massa sem critérios …


O que é Ventosaterapia?

É uma técnica instrumental que historicamente já foi aplicada com; chifres, pedaços de bambu, copos de cerâmica, copos de vidro e mais atualmente copos de acrílico com regulagem de pressão.

Atua através da pressão negativa sobre a pele, com finalidade de estimulo fisiológico em pontos ou áreas específicas.


Ventosaterapia energia ou fisiologia?

Algumas escolas defendem o uso da Ventosaterapia com base nos conceitos energéticos e meridianos da acupuntura chinesa. Eu particularmente defendo que a sua principal função é fisiológica e, os resultados não estão diretamente ligados ou relacionados a questões energéticas.

Historicamente falando há relatos do uso da Ventosaterapia em diversos continentes – Um dos mais antigos livros de medicina do mundo, o Papiro de Ebers, descreve como os antigos egípcios estavam usando terapia por ventosa em 1550 a.C. Sendo assim, a medicina Chinesa recebe a referência de uso da técnica pela sua difusão associada a acupuntura mas, o conceito de aplicação terapêutico já existia a muito tempo e sem o conhecimento de meridianos e questões energéticas da medicina Chinesa por outros povos que, ainda assim logravam resultados. Acredito que outras técnicas como a própria acupuntura tenham uma resposta terapêutica muito mais expressiva no que diz respeito ao uso de conceitos energéticos e meridianos.


Como Funciona

Iniciamos nossa abordagem fisiológica falando de uma parte/ função vital da vida e onde se encontra a principal ação da Ventosaterapia em sua relação direta com a Circulação sanguínea e o Sangue, responsáveis por;

  • Levar hormônios de uma parte para outra do corpo,
  • Transportar nutrientes,
  • Oxigênio
  • Nutrir os tecidos/ células.

De modo geral a circulação sanguínea é fundamental para manter um ambiente apropriado para a função ótima das células do corpo. Tem ainda papel fundamental na remoção e excreção de resíduos metabólicos (substâncias tóxicas ingeridas ou originadas no próprio organismo).

O sangue além de possuir as substâncias denominadas anticorpos, que tem como função destruir/ eliminar toxinas e agentes nocivos, distribui calor para o organismo mantendo assim nossa temperatura corporal estável. Temos portanto um sistema e um elemento que tem suas funcionalidades amplificadas pelos estímulos da pressão negativa que a Ventosaterapia imprime.


Função Terapêutica

Toda a função terapêutica da Ventosa está na pressão negativa e na posterior descompressão da área de aplicação. Como vimos até então o estímulo da circulação sanguínea, nutrição muscular e homeostase estimulada são a base de ação fisiológica desta técnica. Portanto o reflexo da pressão negativa é o efeito mais importante da Ventosaterapia.

Através de estudos realizados no Japão foi verificado que a pressão negativa influí na sudorese, no enrijecimento muscular e nas funções do sistema nervoso autônomo. O sistema nervoso está ligado a todas as partes do corpo gerenciando as funções dos nossos órgãos. O sistema nervoso autônomo composto de células e fibras nervosas controla os músculos involuntários e regula as funções vitais. Não age sob controle das nossas vontades mas
os estímulos da pressão negativa demonstram influências em suas ações. Segundo pesquisas da medicina oriental os estímulos pontuais que seguem os conceitos da Reflexologia (pontos mapeados em determinadas áreas que tem ligação com o sistema nervoso) que ativa certas ligações neurais capazes de enviar respostas as células promovendo a liberação de elementos químicos neurotransmissores em partes ou áreas específicas do nosso corpo.


Tipos de Ventosaterapia

Ventosaterapia com Chifre ou Pijat Tanduk

ventosa chifre

Apesar de parecer arcaico e até histórico do ponto de vista estético os chifres (de boi ou búfalo) são utilizados até os dias atuais principalmente na Malásia e no Tibet. Nesses países a Ventosaterapia é pautada no uso dos chifres que segundo a crença local tem propriedades medicinais e curativas. Portanto não é apenas uma questão de falta de recursos, mas também de finalidade específica da ferramenta dentro da cultura local.

Ventosaterapia com Bambu

img-4
Muito utilizada na China e no Japão a ventosa de Bambu tem uma aplicação bastante distinta. Ela é colocada em água quente para criar o calor interno e quando aplicada na pele cria a pressão necessária para ser fixada. Na China utilizam ainda algumas ervas na água onde a ventosa é aquecida – decocções medicinais.

Ventosaterapia com Cerâmica

Tem como principal diferença em relação a ventosa de vidro o fato de manter o calor por mais tempo. É um material que pode ser personalizado, tendo portanto uma possibilidade de cores e acabamento estético.

Ventosaterapia de Vidro

ventosa vidro

Muito utilizada na China e bastante difundida no Ocidente a ventosa de vidro combina a sucção com a termoterapia para produzir um efeito tonificante no organismo. Sua utilização demanda conhecimento e prática pois o uso incorreto pode causar queimaduras. Sua aplicação é feita com o uso de fogo que quando colocado dentro da ventosa queima o oxigênio e reduz a pressão interna, feito isso ao ser colocada na pele é feita a sucção.

Ventosaterapia de Acrílico

Ventosa acrilico
Criada na Corea do Sul é a ventosa mais difundida no mundo. A ventosa de acrílico é resultado do aprimoramento das ferramentas dessa técnica. Com ela você obtém efeitos semelhantes aos das outras alternativas anteriores , com algumas vantagens como; baixo custo, fácil assepsia, praticidade de manejo, aplicação e controle da pressão interna.

Ventosaterapia com Sangria

Utilizada para drenar de forma mais rápida as toxinas presentes no sangue precisa ser realizada por profissional da saúde devidamente capacitado para realizar técnicas invasivas e procedimentos de biossegurança (alto risco de contaminação cruzada), ou por profissional acupunturista devidamente formado.

ventosa sangria

Um erro lamentável é a realização da sangria com Ventosa de acrílico sem o uso do protetor como mostra essa foto. O risco de contaminação é alto!

Se o seu professor te ensinou sangria com ventosa e não te avisou que esse é um procedimento invasivo que demanda formação específica para ser realizado fique atento, você pode sofrer graves consequências caso um de seus pacientes sofra alguma contaminação ou problemas mais graves…


Indicações

A Ventosaterapia é indicada para tratar casos que vão de dores musculares agudas a casos crônicos das mais diversas patologias. Levando em consideração a sua capacidade de irrigação sanguínea dos tecidos (músculos) ou ainda o estimulo do sistema imunológico temos uma grande amplitude de tratamentos com o uso dessa técnica.
A aplicação/ indicação deve ser pautada sempre na causa e origem da patologia a ser tratada. Ou seja, a avaliação da situação clínica e o entendimento a respeito da patologia do paciente é fundamental para determinar as indicações da Ventosaterapia em cada caso.

Comumente a Ventosaterapia é utilizada para;

  • Desintoxicar o organismo e os tecidos musculares
  • Lombalgias
  • Tratamentos para dores musculares pontuais de modo geral.
  • Dores abdominais
  • Dor no estômago
  • Ansiedade
  • Angustia- Estresse
  • Rigidez nos ombros
  • Cefaleia
  • Problemas digestivos
  • Hipertensão arterial
  • Torções

Contraindicações

Nunca aplique as ventosas em:

  • Trombose, tromboflebite ou distúrbios hemorrágicos;
  • Varizes ou feridas;
  • Pessoas com febre;
  • Fratura no local a ser tratado.
  • Massas desconhecidas como tumor de pele ou subcutâneas.
  • Úlceras ou alergia dérmica. Tendência de sangramento (leucemia, anemia…)
  • Não usar no abdômen de gestantes e seios.
  • No pescoço (artéria jugular) e em grandes vasos aparentes (varizes).

!!! Em caso de dúvidas busque informações antes de executar a sessão. A responsabilidade sobre o paciente não está na técnica utilizada e sim no atendimento profissional e ético que será realizado com a finalidade terapêutica !!!


Quem pode aprender?

Ao contrário do que muitos pensam a Ventosaterapia é uma técnica, e não uma formação, estudada e aprimorada pela Medicina Oriental como dito no inicio desse texto e sem origem primária definida (documentada formalmente). Atualmente não faz parte de nenhuma especialidade da saúde. Não há especificidade em relação a quem deve ou pode aplicar a técnica. O importante é considerar a capacitação do profissional, aonde ele aprendeu e qual a vivência clínica que carrega. Portanto um Massoterapeuta, um acupunturista ou um fisioterapeuta podem deter o mesmo nível de conhecimento em relação a técnica e sua finalidade terapêutica.

ventosa tradicional


Carreira Profissional

Sem dúvida alguma essa é uma técnica que faz a diferença na composição de um atendimento sistêmico bem elaborado. O poder da Ventosaterapia abrange áreas e finalidades distintas indo da desintoxicação muscular ao uso abrangente em técnicas de liberação miofascial. Atualmente uma das técnicas instrumentais mais importantes no contexto terapêutico.

Na carreira profissional a Ventosaterapia pode ser um grande diferencial mas não é uma técnica que garante a sua atuação exclusiva, apenas com a Ventosaterapia.


Como escolher um bom Curso de Ventosaterapia?

Ao longo dos 20 anos de estudos a respeito dessa técnica tive acesso a informações mais tradicionalistas das raízes da medicina oriental e depois uma imersão no ponto de vista ocidental e adequações ou atualizações que a técnica sofreu ao longo de sua história. Hoje até na estética a Ventosaterapia tem finalidade, muita coisa mudou. Eu vivencio essa mudança, e carrego a abertura da novidade e não exito em aplicar a técnica nas mais diversas situações onde avalio sua possível relevância terapêutica.

Bom, o que eu posso afirmar em relação a um bom Curso de Ventosaterapia é que o mais importante é desdobrar o conhecimento de quem te ensina. Você prefere aprender futebol com o Pelé ou com o Sr. Zé que foi técnico de futebol durante anos mas nunca chutou uma bola? Pois bem, faço essa analogia para que você possa refletir a respeito de como você avalia não só um bom curso de Ventosaterapia mas qualquer curso de técnicas da Medicina Oriental.

Escolha certa

Se você optar por ficar preso em conceitos milenares pode ser que seu sucesso com a técnica não seja satisfatório e, se você deliberadamente decidir recriar a “roda” pode ser que seus resultados sejam desastrosos. Ou seja, o conceito milenar é a base da técnica, mas a estrutura é mutante/ flexível/ atualizável. Assim como a fisiologia das pessoas que numa determinada época se preocupavam com as dores nas costas causadas pelo trabalho árduo na colheita de arroz e, hoje sofrem de dores nas costas pelas longas horas sentadas em frente aos computadores. O seu publico ou paciente não é o mesmo de quando a técnica surgiu e amanhã ele será ainda mais diferente.

Por fim, hoje se eu fosse fazer mais um curso de Ventosaterapia a primeira atitude seria buscar um professor atuante com a técnica. Desejaria saber aonde é a clínica dele, quem ele atende com a técnica, e o quanto ele é reconhecido como profissional antes de saber o quanto ele é graduado em outras áreas. Mesmo sendo formado em um dos berços da medicina oriental, no meu caso Japão, posso te garantir que o segredo não está no numero de livros e artigos que li, mas sim nos mais de dois atendimentos que realizo por ano…

Não se esqueça, se no curso de Ventosaterapia você não aplicou, recebeu e aplicou novamente a técnica. Talvez você tenha aprendido a jogar futebol sem usar uma bola…


Conclusão

Meus atendimentos seriam prejudicados sem a Ventosaterapia? Sim, com certeza alguns caminhos seriam mais longos.

A Ventosaterapia é substituível? Talvez, mas há peculiaridades da técnica que eu não trocaria por nenhuma outra.

Adote a Ventosaterapia como técnica complementar respeitando inclusive a aceitação do seu paciente em relação as marcas que ficam na pele. Tenha a Ventosaterapia como sua aliada e os resultados serão surpreendentes.

Acesse o curso

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.