Reflexologia Podal, o que é, para que serve e como fazer

Reflexologia Podal técnicas de massagem

Neste artigo você tem uma abordagem profissional a respeito da técnica de Reflexologia Podal. Aqui não vou apenas te contar uma história ou repetir aquilo tudo que você já leu por aí. Vou falar a respeito de; carreira profissional, como escolher um bom curso, estrutura necessária, quais os pontos ou mapas corretos,reflexologia podal em crianças e idosos e etc…

A Reflexologia Podal vai muito além de uma simples massagem nos pés, ou ainda, muito além de uma manipulação manual que muitas vezes é aplicada sem nenhum fundamento técnico e portanto sem nenhum efeito terapêutico. Estamos falando de uma das técnicas da massoterapia que tem uma das maiores capacidades de acesso e estímulos terapêuticos que conhecemos atualmente. Portanto se em algum momento você passar por uma sessão de Reflexologia Podal Profissional sem sentir absolutamente nenhuma resposta aos estímulos, desconfie, pode ser que você esteja recebendo apenas um carinho nos pés…


O que é Reflexologia Podal?

É uma técnica (originalmente) manual, que através de estímulos aplicados em pontos reflexos dos pés, pontos mapeados ao longo de anos de estudos, são capazes de criar estímulos neurais (SNC) que o organismo reconhece como um sinal de alerta que direciona a “atenção de cura” para partes ou áreas específicas do corpo. Ou seja, os estímulos aplicados nos pontos reflexos são feitos de forma coordenada e tecnicamente definida, com diferentes métodos que vão de; pressão com os dedos, deslizamentos em sentidos variados e alongamentos específicos.

Mapa base de Reflexologia Podal

O conceito de reflexologia em alguns países como o Brasil ainda é considerado uma pseudociência ou seja, que não resulta de métodos científicos. Mas existe uma diferença muito grande entre a medicina oriental e a ocidental. A medicina oriental com seus mais de 5.000 anos de existência e resultados comprovados através da aplicação de suas técnicas, vem mudando esses conceitos e criando uma nova postura de avaliação e reconhecimento da sua medicina que fica cada vez mais evidente e amplamente difundida no ocidente.

“Se a reflexologia nunca conseguisse nada além do que combater o stress com relaxamento, ela estaria servindo muito bem aos seus propósitos.”

(The Complete Guide to Foot Reflexology: Kevin e Bárbara Kunz)


Pontos e Mapas da Reflexologia Podal

Qual mapa usar na Reflexologia Podal

Você terá acesso a uma infinidade de mapas de Reflexologia Podal na internet, uma simples busca pelo tema te apresenta centenas de opções distintas. Mas qual é o mapa certo ou qual o melhor mapa? A resposta é simples, o mapa certo e o melhor mapa é aquele que você como profissional irá desenvolver ao longo dos anos com a sua própria experiência. Isso mesmo, existe uma autonomia muito grande em relação a tal personalização dos pontos/ áreas. Se juntarmos todos os mapas muitos serão idênticos e alguns diferentes. As diferenças existem pois nem todos os pontos ou áreas são fixas pois características individuais de cada paciente possibilitam uma resposta terapêutica distinta. Os pontos comuns já são comprovadamente acessíveis e esses servem de base para o seu próprio mapa.

Os mapas de Reflexologia (podal, facial, palmar etc…), foram elaborados através de pesquisas geralmente realizadas com estímulos e respostas terapêuticas relacionadas. Ou seja, ao estimular a área relativa ao intestino era notada uma interação terapêutica nesse órgão e suas possíveis disfunções. E assim durante séculos os mapas foram surgindo e sendo aprimorados.

Desenvolvimento de uma mapa próprio

O meu mapa eu desenvolvi ao longo de mais de quinze anos de atuação, com aplicações frequentes onde pude avaliar as mais diversas respostas. Alguns pontos simplesmente excluí do meu mapa por entender que apesar de algum resultado o mesmo tinha respostas muito variáveis, ou seja, as vezes funcionavam e as vezes não. Os pontos que na maioria das vezes não funcionavam eu fui aos poucos descartando. Tomei essa liberdade pois estou falando de anos realizando tais testes com um público diferente e incontável.

Mas a maior mudança que fiz no meu mapa foi adotar áreas e não pontos pois, não acredito em pontos fixos. Na minha vivência clínica ao definir pontos estamos minimizando a eficácia da técnica. Percebi ao longo dos meus atendimentos que, questões não apenas de características físicas tinham influência direta; um pé mais magro ou um pé menor por exemplo. Mas questões emocionais individuais de cada paciente tinham também uma relação muito expressiva. Por exemplo; a paciente Maria nos dias que ela estava feliz e tranquila a área do pulmão era mais superficial, e nos dias de tensão e angustia a mesma área estava mais profunda, para esquerda…Não estou falando de sensibilidade ao toque, mas de identificação e acesso a área estimulada.

Bom, de modo geral acredito e oriento que o profissional de Reflexologia Podal faça testes. Experimente meu mapa, o mapa de todas as demais escolas e avalie os resultados. Tenho certeza que daqui um tempo, nem o meu mapa e nem o das outras escolas será melhor que o seu mapa… que muitas vezes fica gravado só na sua cabeça.


Benefícios da Reflexologia Podal

Um dos benefícios primários e principais da Reflexologia Podal é a capacidade de proporcionar a homeostase, ou seja equilibrar os fluidos que circulam pelas nossas células, o chamado líquido intersticial. Com esse primeiro beneficio os resultados já são notáveis e capazes de proporcionar em poucos minutos não só o bem estar do paciente mas também uma melhor função fisiológica do corpo como um todo.

A Reflexologia Podal pode ser aplicada para:

  • Alívio de dores;
  • Bem-estar físico e mental
  • Estímulo do sistema imunológico;
  • Melhora da circulação sanguínea;
  • Redução de Edemas;
  • Redução dos sintomas da TPM;
  • Problemas digestivos;
  • Intestino preso;
  • Ansiedade;
  • Depressão.

É importante ressaltar que em nenhuma condição clínica, mesmo que não listada acima a Reflexologia Podal não substitui o atendimento médico especializado. Em hipótese alguma o profissional de Reflexologia Podal pode ou deve sugerir ou ainda orientar qualquer paciente a substituir o tratamento médico especializado. Em casos crônicos ou agudos é importante ainda obter a indicação ou autorização médica para a realização da Reflexologia Podal como técnica complementar ao tratamento principal.


Contraindicações da Reflexologia Podal

As principais contraindicações da Reflexologia Podal estão diretamente relacionadas não só a capacidade de avaliação do terapeuta como também a ética e bom senso em relação a condição do paciente. Ou seja, ainda que alguma condição não esteja listada como contraindicação, em caso de dúvidas o profissional de deverá orientar e instruir o paciente a buscar a opinião e autorização médica especializada.

Algumas contraindicações;

  • Mediante qualquer identificação visual ou relato do paciente de problemas na pele (alto risco de contaminação);
  • Varizes proeminentes
  • Trombose
  • Fraturas de qualquer natureza nos pés ou áreas próximas

Existe idade para receber?

Não existe uma idade mínima e nem uma idade máxima para receber a Reflexologia Podal. Essa é uma técnica que pode ser aplicada em qualquer pessoa, porem existem algumas peculiaridades que devem ser consideradas como;

  • Reflexologia Podal em crianças:

    recém nascidas e crianças até antes da adolescência a Reflexologia Podal tem resultados excepcionais sendo inclusive uma das técnicas mais adequadas. Mas é importante considerar dois aspectos fundamentais. O primeiro é em relação ao tamanho do pé, que tem os mesmos pontos de um adulto mas num tamanho proporcional e de difícil acesso que muitas vezes inviabiliza o tratamento com estímulos pontuais. Nesse caso a aplicação é mais ampla, cobrindo áreas e ainda assim proporcionando os estímulos e resultados positivos. E o segundo aspecto está relacionado a sensibilidade do toque, que deve ser leve sem causar nenhuma dor ou incomodo.

reflexologia podal em criança

  • Reflexologia Podal em idosos:

    Nos idosos existem peculiaridades relacionadas a sensibilidade e elasticidade da pele. É muito comum também encontrarmos calos e joanetes principalmente em mulheres. De modo geral a regra básica é começar com toques suaves e aos poucos aumentar a intensidade para avaliar a pressão adequada dos estímulos. Em relação ao tempo de aplicação não há restrições. A grande dica que quero compartilhar nesse tópico é relacionada a como posicionar o paciente idoso que vai receber a reflexologia podal. O paciente precisa estar confortável e é muito importante considerar as limitações de cada paciente. Avalie qual a melhor posição, sentado ou deitado, e a cada 10 minutos no máximo pergunte se o paciente idoso deseja mudar a posição que está. Esse pequeno detalhe faz muita diferença!


Quem pode aprender Reflexologia Podal?

Não há restrição de idade, não há exigência de conhecimento prévio ou formação especifica. A Reflexologia Podal assim como a grande maioria das técnicas da medicina oriental é uma área de conhecimento específica que serve tanto para leigos como para profissionais atuantes. É interessante ainda pontuar que esse tipo de conhecimento na cultura oriental é passada de pai para filho, é aplicada e praticada em casa entre as pessoas da família.


Carreira Profissional

Uma boa forma de ingressar na massoterapia tendo como técnica primaria a Reflexologia Podal é associar a técnica a atividades que você já realiza. Ou ainda, fomentar parcerias profissionais que possibilitem o encontro da sua técnica com o seu público. Algumas atividades profissionais proporcionam uma boa abertura para a associação da Reflexologia Podal em outras atividades como por exemplo: estética, podologia, enfermagem, etc…

Tenho um casebem interessante de uma aluna de estética que começou fazendo degustações de 10 minutos para todas suas clientes de estética. Enquanto a cliente esperava na maca o tempo necessário do procedimento facial a profissional aplicava a Reflexologia Podal. Em alguns meses ela tinha uma agenda mais cheia com a Reflexologia Podal do que com a estética. Foi uma transição suave que deu muito certo não só financeiramente como profissionalmente.

Outro case interessante é o da aluna de Podologia que criou uma sequência personalizada da Reflexologia Podal para agregar ao serviço. Antes de finalizar qualquer atendimento ela aplicava essa sequência e as suas clientes simplesmente se encantavam com o serviço.

Assim como qualquer outra atividade profissional, existe concorrência no mercado e profissionais com qualidades distintas. Se você pensa em investir na Reflexologia Podal como sua técnica primaria ou como técnica extra nos atendimentos que já realiza, posso garantir que é uma ótima alternativa. Sua diferença estará na dedicação, comprometimento, profissionalismo e principalmente paixão pelo que faz. Tudo que envolve o toque tem uma relação direta com as energias que você carrega.


Estrutura para atender

Essa técnica é muito interessante pela simplicidade da estrutura necessária para realizar os atendimentos com qualidade. É uma das poucas técnicas da massoterapia que você consegue atender o paciente deitado ou sentado sem restrições.

Existem equipamentos exclusivos para a técnica, que muitas vezes demandam um bom investimento. Mas nesse caso é uma alternativa de cada profissional.

Cadeira para Reflexologia Podal

Alguns itens básicos na maleta de um profissional da Reflexologia Podal são;

  • Creme ou óleo
  • Lenço de papel
  • Borrifador com álcool 70%
  • Toalha de rosto
  • Cadeira com altura ajustável (pra você sentar)
  • Apoio de pé
Apoio de pé

É importante lembrar que o paciente pode ser atendido deitado. Inclusive por esse motivo a Reflexologia Podal é uma das técnicas mais interessantes em ambientes hospitalares por exemplo.

Independente da sua estrutura, nunca se esqueça que o conforto do seu paciente tem influência direta na percepção de qualidade do serviço e também nos efeitos esperados. Invista pouco mas nunca se esqueça da qualidade geral percebida!


Como escolher um bom Curso de Reflexologia Podal?

Curso de Reflexologia Podal Instituto Hishinuma

Acredito que a métrica principal que define um bom curso, não só de Reflexologia Podal mas de qualquer técnica da medicina oriental é avaliar a formação do professor. Isso mesmo, hoje vemos cursos e cursos, acessamos artigos e vídeos, e temos um volume expressivo de conteúdo disponível. Assim sendo, infelizmente nos deparamos com pessoas mal intencionadas que compilam essas informações e vendem cursos de formação sem nem ao menso ter alguma experiência.

Portanto para escolher um bom curso vamos pontuar os seguintes critérios:

  • Currículo do Professor – Aonde ele se formou, quando se formou e qual a relevância da formação desse profissional.
  • Professor Profissional – Talvez esse seja o segundo critério mais importante. Que o professor seja profissionalmente ativo. Ou seja, que ele atenda com frequência usando a técnica que ele se dispõe a ensinar. Só alguém atuante irá ensinar e compartilhar informações e experiências realmente relevantes sobre a técnica, digamos que só um profissional assim conhece o “ouro”.
  • Só conteúdo textual e visual (Não): Fuja de cursos que te entregam apenas textos e fotos. Atualmente a riqueza de informações que podemos acessar na internet cria a possibilidade do surgimento de cursos que nada mais são que uma compilação, um apanhado de conteúdo copiado que você tem acesso sem pagar nada. Então não invista pra alguém te dar informações elas são de graça, invista para alguém te ensinar!
  • Aulas práticas – Estamos falando de uma técnica manual, de algo que exige o toque. Dar preferencia por cursos que possibilitam o acesso a prática é fundamental principalmente para as pessoas que nunca tiveram experiência com nenhuma outra técnica. Lembrando que o acesso a aula prática não se limita a aulas presenciais. Bons cursos EAD online tem essa estrutura e suporte que viabiliza a experiência pratica a distância.

Conclusão

Hoje seu eu fosse começar minha carreira como massoterapeuta provavelmente optaria pela Reflexologia Podal por alguns motivos;

  • Alta capacidade terapêutica
  • Baixo custo de investimento estrutural
  • Demanda crescente
  • Alto poder de fidelização
  • Possibilidade de atender em local fixo ou home care

Bom, não se esqueça apenas de um detalhe, se optar pela Reflexologia Podal como atividade profissional faça por amor e com dedicação, esses dois ingredientes irão te levar a um patamar único de sensibilidade e resultados.

E se você deseja receber Reflexologia Podal como paciente, procure um bom profissional e esteja preparada (o) para sentir efeitos profundos e duradouros de uma técnica que encanta.

Acesse o curso

3 thoughts on “Reflexologia Podal, o que é, para que serve e como fazer

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.